Primeiras semanas de maio registram crescimento nas exportações

As exportações de carne suína fresca, congelada ou resfriada nos primeiros cinco dias úteis de maio apresentaram um ritmo acelerado, tanto nas comparações com maio de 2020 quanto com a última semana de abril deste ano, conforme dados informados, em 10 de maio, pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Governo Federal.

A receita obtida com as exportações de carne suína neste mês, US$ 76.049,804, representam 35,4% do montante obtido em todo maio de 2020, que foi de US$ 215.174,482. No caso do volume embarcado, as 28.560,013 toneladas são 31,4% do total exportado em abril do ano passado, um montante de 90.721,481 toneladas.

Faturamento médio das exportações de carne suína no Brasil registra alta de mais 40%

O faturamento por média diária na primeira semana de maio foi de US$ 15.209,9608, quantia 41,37% maior do que maio de 2020. No comparativo com a semana anterior, houve alta de 39,8%. No caso das toneladas por média diária, foram 5.712,002, houve alta de 25,92% no comparativo com o mesmo mês de 2020. Quando comparado ao resultado no quesito da semana anterior, observa-se avanço de 30,8%.

Já o preço pago por tonelada, US$ 2.662,807 no último abril, é 12,27% superior ao praticado em abril passado. O resultado, frente ao valor atingido na semana anterior, representa aumento de 6,9%.

Veja também: Topigs Norsvin cresce 401% no Brasil, e produção de carne suína com a genética holandesa atinge 2 milhões de toneladas

Desempenho exportador das carnes na primeira semana de maio

No período (1 a 8 de maio, cinco dias úteis) e comparativamente a maio de 2020, o volume e a receita cambial da carne suína aumentaram, pela média diária, cerca de 26% e mais de 41%, respectivamente, enquanto volume e receita de carne de frango registraram incrementos de 22% e de quase 39%, também respectivamente. Já a carne bovina sofreu recuo de 23% no volume embarcado e de 14% na receita cambial.

O crescimento simultâneo de China e EUA reforça uma demanda global mais aquecida e commodities em alta talvez até um pouco além do previsto, de acordo com a economista-chefe do Banco Inter, Rafaela Vitória, para o Jornal Valor Econômico.

Partilhe este post:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no print
Compartilhar no email