A importância da genética suína na produção brasileira

A Topigs Norsvin, líder mundial em pesquisa e desenvolvimento de genética suína, participou, no dia 28 de maio, de uma live especial promovida pela revista feed&food abordando a importância da genética suína na produção brasileira. 

Falando sobre genética mundial, o geneticista LATAM da Topigs Norsvin, Éverton Silva, explicou que as estruturas de melhoramento genético em nível internacional estão organizadas da melhor forma para atender as diferentes exigências dos diversos mercados e público consumidor. Dessa forma, os investimentos em pesquisa e desenvolvimento (P&D) são alocados em diferentes países, pensando, inclusive, na melhor estratégia para que o progresso genético obtido possa ser disseminado pelo mundo.

Dentro desse contexto, geralmente, as estruturas principais de melhoramento genético estão localizadas em países que detêm acordos comerciais de exportação e disseminação de genes com os países onde a empresa atua, possibilitando a distribuição de material genético internacionalmente. Além disso, são aplicados diversos protocolos e ferramentas tecnológicas para a coleta de informações, que são utilizadas pelas empresas de genética suína para identificar os melhores animais dentro de cada população. “Alguns desses protocolos apresentam alto custo, o que dificulta para as companhias aplicar alguns deles em vários países”, pontuou Silva.

A distribuição global também possibilita às empresas estarem mais próximas de institutos de pesquisas e de universidades, facilitando o desenvolvimento de produtos e estratégias de melhoramento de alta tecnologia. Um exemplo do que se faz fora do Brasil é a coleta massiva de dados de consumo individual de ração pelos animais. Para que se realize esse trabalho é necessária a utilização de estações de alimentação automática que registram, por meio de um chip, o consumo diário e o peso dos animais a cada acesso aos comedouros. O propósito desse protocolo é identificar suínos que consumam menos ração e produzam mais carne para que sejam utilizados como reprodutores para a próxima geração.

“Outra exemplo de tecnologia de ponta é o uso da tomografia computadorizada que foi implementada pela Topigs Norsvin há mais de uma década. O seu objetivo, assim como de outras tecnologias, é identificar e utilizar animais que possuam os melhores genes para as características de interesse que só poderiam ser medidas após o abate dos animais, como, por exemplo, a osteocondrose e características ligadas à qualidade de carne e carcaça”, salientou Éverton Silva.

Para o geneticista, quando se pensa em melhoramento genético, outro aspecto importante é manter uma estreita ligação de parentesco entre os núcleos genéticos principais e os núcleos de produção nos diferentes países onde a empresa atua. “A forte ligação de parentesco entre os animais que temos no Brasil em relação aos animais que estão nos núcleos genéticos no exterior, graças às frequentes importações de reprodutores, garante que o produtor brasileiro tenha acesso a animais do mais alto potencial genético em nível internacional”.

O pesquisador e geneticista global da Topigs Norsvin, Marcos Lopes, destacou que o Brasil também é detentor de tecnologia de ponta, como é o caso do uso da seleção genômica, que vem sendo amplamente aplicada nos plantéis da companhia e de alguns de seus clientes no Brasil. Utilizando marcadores moleculares, a seleção genômica tem contribuído para acelerar o progresso genético dos plantéis brasileiros graças ao aumento da acurácia dos valores genéticos de todas as características incluídas nos objetivos de seleção das linhagens Topigs Norsvin presentes no País.

“Esse aumento de acurácia e, consequentemente maior progresso genético, é ainda mais pronunciado para características que estrategicamente só são medidas nos núcleos genéticos principais, como aquelas mensuradas utilizando a tomografia computadorizada”, complementou Lopes.

TN 70 a melhor matriz do mundo

Os geneticistas destacaram na live os atributos da TN 70, considerada a melhor matriz do mundo, sendo uma fêmea híbrida F1 produzida pelo cruzamento das raças Landrace e Large White, que alia as melhores características de ambas as raças, como habilidade materna e eficiência alimentar com os efeitos de heterose obtidos pelo cruzamento. A excelente capacidade da TN 70 em produzir um grande número de leitões muito fortes ao nascimento, aliada à qualidade de seu aparelho mamário resultam na produção de leitões com maior peso no desmame e com altas taxas de sobrevivência.

“Os leitões nascidos dessa fêmea têm um alto peso ao nascimento e ao desmame, além de serem muito uniformes e vigorosos. Além disso, a TN 70 é uma fêmea de fácil manejo. Mas estes não são os únicos atributos dessa matriz: é preciso ressaltar a alta eficiência alimentar que seus filhos levam para as fases seguintes do ciclo de produção”, listou Éverton Silva.

“Quando analisamos os resultados de 2019, identificamos várias granjas de parceiros da Topigs Norsvin que desmamaram mais de 36 leitões/fêmea/ano, e continuamos trabalhando para obtermos ao longo dos próximos anos resultados melhores. A Topigs Norsvin se orgulha de garantir aos seus clientes não só essa alta produtividade, mas principalmente de garantir uma alta produtividade com alta qualidade”, complementou Marcos Lopes.

A live completa está disponível no link: DEBATE F&F: A IMPORTÂNCIA DA GENÉTICA SUÍNA

Partilhe este post:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no print
Compartilhar no email